terça-feira, 20 de junho de 2017

Tigresa

Tigresa, você tem os olhos sinceros
Só se engana quem quiser, ou for tolo.
Mas eu te acho "tetéia", para usar um termo "sukita", bem anos 70
E doce com o coração, despejando amor e bem querer
Uma fera que calma anda lentamente, quase em câmera lenta
A observar os mínimos movimentos ao seu redor
Movimenta só com os olhares soltando informações
E as pessoas tem medo da tetéia com massa encefálica
Estranham o que há dentro daquela cabeça
Pois os olhos só vêem o corpaço e a beleza
Ah tetéia, você pode não acreditar no que quiser
Desde que acredite em mim e em quem te gosta
Recusa-se a ver Dorian Gray imaculado de cinza
Prefere sempre o original, deturpado de Wilde.
Wild, Take a walk on the wild side
Isso você ja faz ha tempos
Desafia a zona de conforto e se sobrepõe ao que era antes
Se refaz de qualquer dor e permanece atual
Uma fera que ruge 
Mas sintoque só quer dormir com uma canção de ninar

Um comentário:

Anônimo disse...

Linda poesia, parabéns pela sua Tigresa, ela é muito feliz por ter seu amor e admiração.